Quer me mandar uma mensagem? | contato@www.educadordesucesso.com.br

Executando a autonomia na Educação Infantil

//Executando a autonomia na Educação Infantil

Executando a autonomia na Educação Infantil

Reconhecendo a importância das regras

A convivência em grupo pressupõe regras, demanda respeito ao outro, logo, não podemos fazer tudo o que temos vontade.
As regras terão valor e serão respeitadas se forem estabelecidas por todos. O respeito pela regra depende da sua compreensão e legitimidade; as pessoas envolvidas precisam reconhecer a sua importância.
Na sala de aula o professor tem o papel de oferecer orientações para a condução de discussões para tomada de decisões e estabelecimento de regras.
Quando os alunos refletem juntos sobre os problemas que surgem na sala de aula, eles podem ser levados a perceber a necessidade de haver regras. Participando na determinação do que ocorre na classe, podem perceber que as decisões lhes pertencem.
O senso de propriedade resultante da participação no processo de decisões, leva os alunos  a desenvolverem senso de responsabilidade compartilhada pelo que ocorre na classe, quer seja de aspecto bom ou mau.
O estabelecimento de regras representa também uma clara oportunidade para que as crianças exercitem a autonomia.
Se o professor acredita que determinada regra é importante, ele deve descobrir como apresentá-la à classe, de tal modo que os alunos também vejam sua necessidade, porém sem impor a regra.
Formas de conduzir as discussões de estabelecimento de regras:

Regras para crianças1. Evite a palavra regra.
O professor pode sugerir o estabelecimento de regras com frases como: “como tornar nossa sala de aula segura e feliz”, “orientações”, “coisas para lembrar” ou “como desejamos ser tratados”.
2. Conduza as discussões sobre o estabelecimento de regras como uma resposta a uma necessidade ou problema específico.
O professor pode começar apresentando o problema e perguntar o que podemos fazer para solucioná-lo.
3. Saliente as razões para as regras.
O professor pode usar palavras que transmitam a mensagem de que a finalidade das regras é tornar a sala de aula um local seguro e feliz para todos.
Quando a criança sugerir uma regra, pergunte: “Por que precisamos desta regra?” ou “Por que esta é uma regra boa?”
4. Aceite as idéias, palavras e organização dos alunos.
Mesmo que as crianças se expressem com palavras confusas, utilize-as de qualquer modo, pois elas recordarão e respeitarão mais a regra, se esta estiver em suas próprias palavras. Em seguida anote-as em local visível na sala de aula.
5. Guie os alunos para regras sem “nãos”.
O professor não deve rejeitar as regras com “não”, entretanto, as crianças podem ser levadas a pensar em coisas que podem fazer.
6. Cultive a atitude de que as regras podem ser mudadas.
Ocasionalmente as regras precisam ser mudadas por uma ou outra razão. Deixar isto claro ajuda as crianças a aprenderem que as regras não são eternas, imutáveis, pois elas servem para finalidades específicas. Quando a situação muda as regras também devem mudar.
7. Quando as crianças sugerem regras inaceitáveis, responda com persuasão e explicação.
As crianças poderão sugerir regras impraticáveis que o professor poderá vetar a sugestão. Quando isto ocorrer é importante explicar o motivo pela qual esta deve ser rejeitada. Isto deve ser realizado de um modo respeitoso, tratando a criança como um ser racional que mudará de ideia quando a razão for explicada.
8. Desenvolva um procedimento pelo qual todos possam concordar com as regras.
A votação é necessária quando as crianças discordam sobre uma regra.
O professor coloca as regras numa lista e após a votação todos assinam para estabelecer o consenso do grupo. O professor também deve assinar a lista para salientar que igualmente é um membro do grupo.
Importante: as regras devem ser registradas e expostas em local acessível na sala de aula.

 

By | 2013-07-18T00:27:11+00:00 julho 18th, 2013|Dicas|1 Comment

About the Author:

Educadora graduada em Pedagogia e Serviço Social e pós-graduada em Educação Infantil com larga experiência na área de educação em seus vários ramos.

One Comment

  1. Executando a autonomia na Educaçã... 21 de novembro de 2013 at 16:09 - Reply

    […] Reconhecendo a importância das regras A convivência em grupo pressupõe regras, demanda respeito ao outro, logo, não podemos fazer tudo o que temos vontade. As regras terão valor e serão respeitadas se forem estabelecidas por todos.  […]

Leave A Comment