Quer me mandar uma mensagem? | contato@www.educadordesucesso.com.br

Escola: adaptação ou inserção?

//Escola: adaptação ou inserção?

Escola: adaptação ou inserção?

A entrada da criança na instituição escolar é um momento especial, digno de reflexão. Este é o momento em que a criança terá sua primeira experiência de separação da família indo conviver com outras crianças e adultos, até então, estranhas para ela, onde irá compartilhar materiais e espaços e aprender como se faz tudo isso.

Muitos educadores preferem usar a expressão inserção ao invés de adaptação.

Adaptação quer dizer acomodação, ajustamento, ou seja, a aceitação, a submissão a uma determinada situação. E educação não combina com submissão.

A expressão inserção quer dizer que a criança vai ser inserida em uma instituição educativa ou seja, entrará no meio do grupo, grupo este com indivíduos portando diferentes visões de mundo, experiências, conhecimentos e crenças. Acredita-se
portanto que veste melhor o significado de inserção neste processo.

Vou iniciar falando sobre a separação.

A inserção de uma criança pequena na creche ou pré escola, é um fato delicado por três motivos:

-Existe uma dificuldade na separação entre pais e filhos, e a ambientação em um novo contexto exige tempo e modo adequados;

-Confiar uma criança a escola de educação infantil não é um fato tão natural. Muitas pessoas ainda pensam que a criança poderá ser privada de momentos afetivos importantes para o seu desenvolvimento. Isso se dá porque a creche nasceu como
uma solução assistencialista e porque a opinião pública ainda não conseguiu mudar totalmente esta imagem;

-Muitas mães vivem ainda com sentimento de culpa de terem que deixar seus filhos em uma creche, ficando sujeitas a pressões psicológicas por parte da família ou da sociedade.

O processo de separação afeta não só a criança, mas também toda a família. Isso porque, além de todo o envolvimento afetivo emocional, há ainda a necessidade de reestruturação do cotidiano familiar, pois novos horários e mudanças nos hábitos irão ocorrer.

No processo de inserção da criança na creche percebe-se que cada criança poderá ter uma reação diferente da outra. Por exemplo: é comum os bebês, a partir dos seis ou oito meses, estranharem pessoas diferentes do seu convívio e, assim chorarem quando são separados daqueles que conhecem. A partir dos dois ou três anos de idade, a criança, em geral, já tem possibilidade de compreender melhor a situação, além de demostrar um maior interesse no envolvimento de brincadeiras com outras crianças.
As crianças além de chorarem, expressam seus sentimentos através do corpo tal como: falta de apetite, dormir demais ou de menos, irritar-se, ficar doente, etc.

É fundamental que o professor explique aos pais que esses comportamentos são formas muito comuns que a criança encontra para reagir frente às novas situações, por isso é essencial que as instituições de ensino tenham sempre em suas equipes
pessoas disponíveis para conversar, orientar, ouvir as “histórias”, dar o seu apoio, seja a uma criança, alguém da família ou até mesmo a um professor.

Como propiciar a inserção?

-Reunião geral: acontece antes do início da inserção da criança e é realizada com os pais. Neste momento sugere-se que se apresente como é organizada a creche e o que as crianças fazem durante o dia;

-Entrevista com os pais conduzida por um ou dois educadores e acontece antes da inserção;

-Quastionário: para obter da família dados particulares sobre a história e os hábitos da criança;

-O ideal é que a creche ou pré escola ofereça para as famílias um sistema gradativo de inserção para cada criança.
Assim, se for possível para os pais, a criança, durante os primeiros dias, ficará na creche apenas algumas horas e gradativamente esse tempo vai sendo aumentado tomando-se o cuidado de não agrupar em uma mesma turma várias crianças em
período de inserção, pois desta forma, é possivel para a professora dar uma maior atenção àquelas crianças que estão ingressando na instituição;

-É fundamental que os pais ou irmão mais velho ou avós ou tias ou babás possam ficar junto as crianças, na sala, até que estes adquiram um pouco de confiança no novo ambiente;

-Parece aceitável a ideia de não mentir para a criança dizendo a ela que os pais ficarão esperando do lado de fora quando, na verdade, vão embora. Os professores também não devem aceitar essa atitude dos pais. A criança precisa saber a verdade mesmo que isto a frustre temporariamente, ela precisa saber que seu pai e/ou mãe necessita ir embora, mas voltará mais tarde para apanhá-la, assim a criança perceberá que não está sendo enganada, pois voltam todos os dias para buscá-la;

-Trazer de casa um objeto de apego pode ajudar neste processo de inserção. Exemplo: chupeta, travesseiro, paninho, brinquedo preferido, etc;

-Favorecer a exploração do ambiente da creche e a curiosidade pelos jogos e brinquedos contribuirão para o conforto emocional e atrairá o interesse e a curiosidade das crianças.

O trabalho de inserção realizado pelos profissionais da instituição escolar deverá ser coletivo, onde haverá a definição da proposta que será seguida, ou seja, haverá a definição dos pressupostos teóricos, dos objetivos e das estratégias e na sequência a avaliação da metodologia seguida.

 

 

By | 2014-01-27T11:56:05+00:00 janeiro 27th, 2014|Dicas|0 Comments

About the Author:

Educadora graduada em Pedagogia e Serviço Social e pós-graduada em Educação Infantil com larga experiência na área de educação em seus vários ramos.

Leave A Comment